Inovação

Sala de monitoramento melhora gerenciamento da Santa Casa

19/01/2018

Uma sala de monitoramento das atividades realizadas em todos os segmentos do complexo hospitalar da Santa Casa foi instalada e já está em atividade há alguns meses otimizando o gerenciamento e auxiliando na tomada de decisões no hospital. A sala conta com quatro terminais de observação e controle situados defronte a um painel eletrônico constituído por oito monitores de grande formato, nos quais os dados de todas as atividades são apresentados em gráficos e interfaces amigáveis de representação da elaboração dessas atividades.

 

A realização do projeto é da Diretoria de Planejamento e Controle, baseada em uma combinação de softwares de gerenciamento, como o MV e outros, desenvolvidos pela Gerência de Tecnologia da Informação da própria Santa Casa. O formato do sistema implantado é conhecido no meio técnico como BI (Business Intelligence), que transforma dados estatísticos brutos em dados mais práticos e utilizáveis na tomada de decisões pela alta gestão da instituição.

 

O controle de utilização de uma ala de internação, por exemplo, era apresentado às gerências e à diretoria como um complexo numérico, que necessitava de cálculos e checagens para se obter a realidade funcional da área. Esta operacionalização demandava tempo, fazendo com que as decisões fossem tomadas atrasadas para a solução de eventuais problemas. Com o advento da sala de controle, tais problemas são visualizados no momento em que ocorrem, dando condições imediatas para as tomadas de decisões e a aplicação das soluções.

 

Em vez de uma gama numérica, os monitores apresentam a figura do conjunto de leitos grafados com a situação em que se encontram por cores e sinais de identificação. Assim, o observador pode saber se todos os leitos estão ocupados, se a ocupação está correta ou tem paciente deslocado, se a ocupação é indevida por qualquer razão. E, de posse das informações, se reportar imediatamente aos chefes de serviço daquele ponto e cobrar as soluções.

 

A mobilidade dos serviços também pode ser acompanhadas e monitoradas da sala. Todos os atendimentos em andamento no hospital são representados nos monitores com informações como: quem é o paciente, onde está sendo atendido, por quem, em que serviço, que hora ingressou e em que ponto está o atendimento. Se um determinado paciente está com o atendimento atrasado, por exemplo, um sinal sonoro é acionado na sala e o caso é assinalado nos monitores, chamando a atenção do operador para acionar o setor, indagar o porquê da demora e viabilizar a solução.

 

A tecnologia é inovadora e já recebeu visita e admiração de um diretor de área do Ministério da Saúde, pela eficiência com que é capaz de apresentar a realidade funcional de um hospital do porte da Santa Casa de Campo Grande. Segundo o diretor de Planejamento e Controle do hospital, Almir Hockembach a grande vantagem apresentada pelo sistema é sua alta capacidade de otimização de dados. “O sistema traz um grande avanço para a gestão na medida em que processa e cruza uma infinidade de dados e nos apresenta as conclusões deste processo, expressando a realidade da assistência naquele momento em todos os pontos do complexo. Isso nos dá uma vantagem muito grande uma vez que elimina a demora entre a ocorrência da desconformidade e sua solução”, explica.